Hoje, a entrevista é com um dos mais conceituados ortodontistas de Sergipe: Luiz Guilherme Maia. É Especialista, Mestre e Doutor em Ortodontia pela Universidade Estadual de São Paulo, Unesp. Foi professor de ortodontia da Universidade Tiradentes entre os anos de 2007 e 2014; atualmente, é professor do curso de Pós-graduação em ortodontia da ABO e tem atividade clínica com experiência de 20 anos na especialidade. Atuando com todas as faixas etárias, do atendimento infantil até pacientes jovens e adultos, é um nome respeitado na sociedade sergipana, conhecido pelo seu alto nível de exigência profissional, comprometimento com seus pacientes e utilização da tecnologia para planejar, executar e garantir resultados de excelência em seus tratamentos. Sua comprovada competência o conduziu, em 2017, à diplomação pelo Board Brasileiro de Ortodontia, durante o Congresso Internacional de Ortodontia, realizado em Belém do Pará.

1 – (TB) A tecnologia mudou o ritmo e a forma de vermos o mundo. Atrelada à ciência, ela tem proporcionado avanços incríveis. E você vem sendo referenciado pelo uso de novíssimas ferramentas tecnológicas em seus tratamentos. De que forma a tecnologia está inserida na sua rotina profissional?

(LG) A tecnologia vem ajudando todas as áreas. Atualmente, na odontologia, assim como na medicina, é possível fazer diagnósticos, gerar prontuários eletrônicos e estabelecer estratégias de tratamento de forma precisa, até mesmo se o paciente estiver em outro continente. É possível, ainda, gerar modelos individualizados de estudo de cada paciente, utilizando as impressões 3D. São incontáveis os benefícios que a tecnologia proporciona e, com certeza, continuará a proporcionar nos tratamentos, para que possamos atuar de forma mais rápida, precisa e com mínimos riscos associados, como infecções, por exemplo. A inteligência artificial é uma realidade nos melhores consultórios de ortodontia mundo afora. Uma recente pesquisa liderada pela HMISS Analytics revelou que 35% das organizações de saúde planejam alavancar o uso da inteligência artificial dentro de dois anos – e mais da metade pretende fazê-lo dentro de cinco anos.

2 – (TB) Como você vem se adaptando a esse futuro tecnológico nos tratamentos ortodônticos dos seus pacientes?

(LG ) Na Orthomaia Dental Studio, a tecnologia já faz parte do presente. Na minha rotina de atendimento ao paciente, já utilizo um “Work Flow” tecnológico, constituído de software, escâner intrabucal e impressora 3D, equipamentos que nos ajudam a tornar o diagnóstico mais preciso, a estabelecer metas de tratamento mais eficientes e previsíveis e a produzir e montar aparelhos ortodônticos discretos e confortáveis. Desta forma, já substituímos os tradicionais moldes de gesso para estudo e trabalho pelo escaneamento intraoral, que gera arquivos virtuais desses modelos. Com isso, conseguimos diminuir o desconforto sentido pelo paciente na hora da moldagem, garantir um ambiente menos contaminado e gerar imagens tridimensionais perfeitas, ideais para simulação de tratamentos, eliminando possíveis erros durante o processo de tratamento. Após a fase do planejamento virtual, podemos utilizar a impressão 3D, ainda, para produzir gabaritos a serem utilizados na montagem e confecção de aparelhos, como por exemplo alinhadores removíveis, praticamente invisíveis, para movimentar os dentes.

3 – (TB) Como foi esse processo de introdução das inovações tecnológicas para você? Foi fácil?

(LG) Quando se quer implantar algo revolucionário, que muda a rotina das pessoas, mesmo que seja para melhor, é preciso encarar dois grandes desafios: gerar interesse pelo novo e sair da zona de conforto para entrar na curva de aprendizado. Nem sempre estamos preparados para investir nosso tempo, ir a fundo no desconhecido e dominar algum tipo de material. Eu, particularmente, sou inquieto em busca de inovação e um apaixonado por tecnologia, obviamente que sempre pautado e embasado nos estudos que validam essas novas tendências. E acho que não dá para ficar na contramão desse processo: a odontologia vem caminhando cada vez mais próxima da tecnologia; na ortodontia moderna especificamente, estamos aliando o trabalho artesanal desenvolvido no século passado com a idealização dos aparelhos de Angle (escolas tradicionais), por meio do qual aperfeiçoamos nossas técnicas, e que é imprescindível para a formação de ortodontistas de excelência, com todas as possibilidades tecnológicas que vem surgindo quase que diariamente.

4 – (TB) Você me falou que o ano de 2017 foi especial para você, tanto no aspecto profissional quanto no aspecto pessoal. Pode revelar os motivos?

(LG) Claro! (Risos) A começar pelo aspecto profissional, 2017 me trouxe uma satisfação realmente inigualável. Tive a honra de ser diplomado, com título de excelência clínica em ortodontia, pelo seleto colegiado do Board Brasileiro de Ortodontia. O reconhecimento veio durante o Congresso Internacional de Ortodontia, realizado em Belém do Pará. Esse diploma coloca o profissional num patamar diferenciado, uma vez que demonstra sua aptidão para estar entre os melhores ortodontistas do país. Fiquei extremamente lisonjeado e grato, sentindo-me realmente feliz por ter conquistado esse importante título. Com relação ao aspecto pessoal, fechei um ciclo familiar com o nascimento do meu segundo filho sergipano, Antônio, agora com 1 ano. Ao lado de Benício, de 5 anos, ele trouxe ainda mais luz e certeza à minha vida junto à Mila, minha esposa e companheira de todas as horas, inclusive no trabalho! Agora, me sinto realmente um cidadão sergipano, com raízes fortes e muitos motivos para permanecer em Aracaju e reconhece-la como minha cidade. Embora paulista, escolhi o estado de Sergipe para viver quando conheci Mila e, hoje, não me vejo em outro lugar.

5 – (TB) Que dicas você pode dar para quem deseja conquistar um sorriso bonito, mas acha que já passou da idade de usar um aparelho nos dentes?

(LG) Olha, Thais, a dica é: olhar ao redor e ver o quanto o mundo mudou! Isso de “não tenho mais idade” ficou no passado. O desejo de melhorar a autoestima e se sentir bonito é legítimo em todas as fases da vida. E eu garanto que a tecnologia vai conceder a esse processo muito mais tranquilidade e nenhum constrangimento. Os alinhadores invisíveis e os aparelhos linguais que eu produzo na Orthomaia Dental Studio, por exemplo, ficam absolutamente imperceptíveis. Eles são baseados em alta tecnologia e planejamento digital 3D de última geração. Concordo que, no passado, tratamentos odontológicos eram comuns apenas entre crianças e adolescentes, mas, hoje em dia, muitos adultos buscam recuperar o tempo perdido, eliminar dores, melhorar a mastigação e atingir uma harmonia facial próxima da perfeição. E tudo isso, como eu disse, sem precisar exibir bráquetes metálicos, por meio de aparelhos ortodônticos estéticos ou alinhadores invisíveis que, em um curto período de tempo, poderão resolver problemas que pareciam eternos.

6 – (TB) Para terminar, fala um pouco da sua expectativa de trabalho para o ano de 2018.

(LG) Esse ano de 2018 já começou com um grande investimento nosso em tecnologia: adquirimos o iTero® Element, um escâner intraoral de última geração, projetado para captar de forma fiel todo o interior da boca do paciente, oferecendo recursos de visualização excepcionais. Esse equipamento nos permite fechar um ciclo de atendimento 100% tecnológico na Orthomaia Dental Studio, onde também já utilizamos impressoras 3D próprias, o que garante maior precisão em cada etapa do tratamento. E posso afirmar que a busca pela excelência vai continuar e que pretendemos investir ainda mais nessa nova fase de atuação. A meta é superar as expectativas de nossos pacientes, oferecendo serviços realmente diferenciados, com a garantia de resultados surpreendentes.